Ricardo Rosset é tricampeão da Porsche GT3 Cup em prova vencida por Lico Kaesemodel

Interlagos coroa o 11º vencedor diferente em 18 corridas em 2015, vê Miguel Paludo vice-campeão no geral e Daniel Schneider campeão na Cup Sport



Ricardo Rosset é o primeiro tricampeão da década de história da Porsche GT3 Cup. O piloto do Porsche #11 terminou em sétimo a corrida desta manhã em Interlagos e assegurou o título no dia da primeira vitória de Lico Kaesemodel na categoria.
Constantino Jr acabou na caixa de brita ao tentar ultrapassar Rosset, finalizando a temporada em terceiro. O vice-campeonato ficou com o gaúcho Miguel Paludo, com o terceiro lugar na prova.
Na Cup Sport Daniel Schneider espantou as nuvens negras que pairaram sobre o Porsche #77 nas duas baterias da preliminar da F1 e ontem. Favorecido por uma rodada de Rodolfo Ometto na primeira volta sob bandeira verde, o campeão da classe Challenge em 2013 terminou em décimo no geral e quinto na classe de entrada, para selar seu primeiro título com os Porsche da geração “991”.
Na Cup Master Maurizio Billi triunfou novamente, mas com os pontos pelo segundo lugar na classe para competidores acima de 50 anos de idade, Sergio Ribas assegurou o vice-campeonato na divisão com o Porsche #63.

A corrida
O dia amanheceu encoberto em Interlagos, com alguns trechos da pista (e principalmente das áreas de escape e zebras) úmidos pela chuva da noite anterior. Os carros foram para o grid de pneus slick, mas foi determinada largada sob safety-car após quatro voltas de aquecimento.
O pole Lico Kaesemodel e o segundo colocado Pedro Queirolo largam bem e se distanciam de Eduardo Azevedo, que é ultrapassado por Miguel Paludo na freada do S.
Na reta oposta, Ricardo Rosset e Miguel Paludo ultrapassam Marcel Visconde, que cai para quinto. Rodolfo Ometto  roda na primeira volta e cai para a última posição, complicando sua pretensão de título na Cup Sport.
Na segunda volta, Ricardo Baptista acompanha o ritmo dos postulantes ao título e, na reta oposta, também ultrapassa Marcel Visconde.
As posições então se estabeleceram nos primeiros cinco minutos com Lico Kaesemodel, Pedro Queirolo, Miguel Paludo, Eduardo Azevedo, Ricardo Rosset, Constantino Jr. e Ricardo Baptista.
Com os ponteiros estáveis em suas tocadas, a briga mais intensa acontecia no pelotão intermediário, com Franco Giaffone pressionando Marcel Visconde pela oitava posição na geral e segunda na Sport.
Já na oitava volta, Constantino Jr. colou de vez em Ricardo Rosset ao fim da reta oposta e percorreu o miolo inteiro muito próximo do Porsche #11. Ricardo Rosset conseguiu um respiro até a Junção, para sair com uma distância segura do Porsche #00 na reta.
Enquanto isso, logo atrás, Marcel Visconde se defende de Giaffone e traz junto Sylvio de Barros, Daniel Schneider e Bruno Baptista, que formam um pelotão intermediário. No Laranja Franco Giaffone transforma a pressão em ultrapassagem e assume o segundo lugar na classe Sport.
Na abertura da décima volta, Constantino Jr. passa um décimo atrás de Rosset e pressiona fortemente o ex-piloto de F1. O cronômetro aponta oito minutos para o final da prova. Assim como seu adversário direto pelo título, Constantino Jr. conta com 50kg de lastro e tem dificuldades em atacar na reta, mas se aproxima perigosamente de Rosset no miolo. Ricardo Baptista acompanha a briga de perto, a quatro décimos de Constantino.
Na 12ª volta, Constantino Jr. vai para o tudo ou nada ao final da reta oposta, ameaça por fora e muda a trajetória tentando a ultrapassagem por dentro na freada para a Descida do Lago. Ricardo Rosset diminuiu o espaço do atual campeão, que coloca rodas na grama, perde o ponto de freada e atravessa o traçado sem controle, indo parar na caixa de brita. Fim de prova para o campeão de 2014.
O incidente foi examinado pelos comissários após a bandeirada e considerado lance normal de corrida.
Aproveitando a confusão, Ricardo Baptista ultrapassa Ricardo Rosset no Pinheirinho. Na abertura da volta 14, é a vez de Franco Giaffone ultrapassar Rosset, que cai para a sétima posição (exatamente o resultado que o Porsche #11 precisava para o tri em caso de vitória de Paludo).
Na última volta, Lico Kaesemodel abre distância de 7 décimos para Queirolo, que traz consigo Miguel Paludo um segundo atrás. Eduardo Azevedo vem logo atrás, na liderança da classe Sport. Ricardo Baptista fecha em quinto, Franco Giaffone em sexto e Ricardo Rosset em sétimo, para ser o primeiro tricampeão da história da Porsche GT3 Cup.
Na Sport, título de Daniel Schneider, que chegou em décimo na geral e em quinto na classe. Rodolfo Ometto, vice-campeão, é o décimo.

Declarações dos pilotos 
Foi tenso. O fato de chegarmos de manhã, a pista meio seca meio molhada, deu uma expectativa maior porque são coisas fora do controle. Largou com safety-car e tive um início tranquilo em relação a ele. Mudei o setup de ontem para hoje e funcionou, viemos bem rápido. Aí foi o cenário ideal no começo, porque o bloco da frente vinha rápido e consegui livrar alguma vantagem. Daí do meio pro final da corrida, os pneus dianteiros começaram a acabar e fui perdendo aderência. Aí começou a travar roda, foi uma briga minha com meus freios, e então o Júnior chegou. Aí teve a disputa no final da reta e ele acabou escapando. Então meu carro foi deteriorando ainda mais. Sabia que se o Paludo ganhasse eu tinha que chegar em sétimo, então deixei o Ricardo passar, depois o deixei o Franco passar e fiquei no foco total em chegar. Daí na bandeirada tirei uma tonelada das costas.
Este título foi o mais disputado. Claro que todo título é difícil ganhar mas os outros foram com corridas de antecedência
Ricardo Rosset

Fizemos um setup diferente, que deixou o carro muito rápido. Consegui segurar a liderança depois da largada com o safety e nas primeiras voltas abri uns seis décimos do Queirolo. Aí percebi que nós dois estávamos abrindo do Paludo. Depois ele chegou e me pressionou bastante, então tive que manter a calma porque sabia que qualquer erro meu seria suficiente para o Pedro atacar. Mantive a calma para evitar fritada de pneu ou atravessada de freada e deu certo. Estou muito contente com esta vitória em meu ano de estreia e com certeza deixa motivação para o próximo ano
Lico Kaesemodel

Foi bom. Fiz o que podia ser feito hoje. Foi um ano de altos e baixos, no qual vencemos corridas. Sem dúvida voltar para a categoria depois de cinco anos e competir em pistas que não conhecia foi um grande desafio. Estou feliz com o segundo lugar no campeonato. Nosso ponto fraco na temporada foram as classificações e precisamos lutar para melhorar isso no ano que vem. Parabéns ao Rosset e ao Constantino: ambos fizeram uma temporada espetacular e fico honrado de terminar a temporada entre eles. Queria ter ganhado, mas não deu
Miguel Paludo

Meu carro e o do Lico estavam muito parecidos. Ele foi impecável, errou muito pouco durante a prova, acho que deu só duas travadinhas de pneu. E quando ele errou acabei errando atrás porque vinha na referência dele. A gente tinha um ritmo muito forte, tanto que descolamos do pelotão intermediário. Mas ele era mais rápido que eu no Mergulho e na Junção e não conseguia tracionar para tentar uma ultrapassagem segura. Então preferi manter a segunda posição e conquistar mais um pódio. Parabéns ao Lico pela primeira vitória na categoria, mostrou uma grande evolução ao longo do ano e acelerou muito hoje
Pedro Queirolo

Não dava para só eu ter má sorte. O problema hoje foi que minha sorte foi a falta de sorte do Rodolfo. Seria mais interessante disputar com ele na pista, mas como foi logo na primeira volta foi uma corrida mais aliviada. Sinto pelo infortúnio do Rodolfo pois queria ter disputado com ele na pista. A prova começou muito tensa, daí acho que ele pegou um trecho ainda molhado e acabou escapando. Depois tratei de administrar e hoje todo mundo se respeitou muito na pista. Eu tinha o carro muito rápido e poderia ter atacado mais. Em condições normais, teria ido pra cima do Sylvio de Barros. Poderia passar ou não, mas teria atacado. Mas hoje não poderia arriscar: vai que eu tento e eu acabo fora… Então só iria atacar mesmo se ele tivesse errado muito e aberto a porta, o que não aconteceu
Daniel Schneider

Interlagos 2 – Corrida 2:
1. Lico Kaesemodel, 16 voltas em 27min24s042
2. Pedro Queirolo, a 0s270
3. Miguel Paludo, a 1s288
4. Eduardo Azevedo, a 6s479
5. Ricardo Baptista, a 8s659
6. Franco Giaffone, a 8s855
7. Ricardo Rosset, a 13s140
8. Marcel Visconde, a 13s764
9. Sylvio de Barros, a 14s076
10. Daniel Schneider, a 14s566
11. Bruno Baptista, a 14s729
12. Gil Farah, a 18s037
13. Maurizio Billi, a 21s732
14. Clemente Lunardi, a 22s013
15. Marcio Basso, a 25s068
16. Elias Azevedo, a 25s214
17. Sérgio Ribas, a 30s730
18. Guilherme Figueirôa, a 33s545
19. Carlos Ambrósio, a 37s486
20. Rodolfo Ometto, a 37s778
21. Marcelo Stallone, a 26s815
22. Constantino Jr., a 5 voltas

Campeonato - Cup
1. Ricardo Rosset, 260 pontos
2. Miguel Paludo, 254
3. Constantino Jr., 252
4. Ricardo Baptista, 226
5. Lico Kaesemodel, 193
6. Daniel Schneider, 157
7. Pedro Queirolo, 157
8. Marcel Visconde, 154
9. Rodolfo Ometto, 132
10. Eduardo Azevedo, 108
11. Sylvio de Barros, 107
12. Gil Farah, 106
13. Pedro Piquet, 96
14. Maurizio Billi, 95
15. Franco Giaffone, 84
16. Carlos Ambrósio, 75
17. Sérgio Ribas, 32
18. Tom Valle, 31
19. Marcio Basso, 25
20. Marcelo Stallone, 22
21. Guilherme Figueirôa, 19
22. Gui Affonso, 18
23. Adalberto Baptista, 9
24. Roberto Posses, 7
25. Jorge Gomez, 3
    Carlos Silveira, 3
27. Fabián Taraborelli, 1
28. Bruno Baptista, 0
    Clemente Lunardi, 0
    Elias Azevedo, 0

Campeonato - Cup Sport
1. Daniel Schneider, 120 pontos
2. Rodolfo Ometto, 113
3. Marcel Visconde, 102
4. Gil Farah, 99
   Sylvio de Barros, 99
6. Eduardo Azevedo, 93
7. Carlos Ambrósio, 73
8. Franco Giaffone, 67
9. Marcio Basso, 40
10. Adalberto Baptista, 25
11. Bruno Baptista, 0

Campeonato - Cup Master
1. Maurizio Billi, 166 pontos
2. Sérgio Ribas, 119
3. Guilherme Figueirôa, 109
4. Marcelo Stallone, 100
5. Gui Affonso, 53
6. Tom Valle, 32
7. Carlos Silveira, 31
8. Roberto Posses, 24
9. Jorge Gomez, 12
10. Clemente Lunardi, 0
    Elias Azevedo, 0

Comentários

Postagens mais visitadas